quarta-feira, 27 de junho de 2018

Salada Niçoise

Fecha os olhos e abre os sonhos, revive todas as sensações, cheiros e paladares. Sente os seixos sob os pés, a água tépida que não refresca mas, de tão azul, inunda a alma!  Segue os teus passos pelo imenso paradão junto ao mar,  aprecia o desfilar colorido dos guardassóis e o explendor das imponentes mansões que o ladeiam. Imagina por momentos, no passado, as senhoras que por aí passeavam envoltas nos seus longos vestidos e de sombrinha na mão. Segue, entra nas velhas ruelas, queimadas de tanto sol, sente o perfume da lavanda e das flores que se espalha pelo mercado, tão belo que delas o nome tomou. Agora, que já estas cansada, senta-te na esplanada e saboreia um fresco e fragante gelado. Bonjour madame! Bonjour monsieur!


Chegou o verão! Adoro este tempo de dias grandes, noites quentes, céus estrelados, grilos e ralos a cantar. Gosto dos passeios pela beira do mar, dos pés descalços, da roupa leve e claro, das férias, das viagens... de descobrir o desconhecido! Enquanto elas não chegam, vou recordar aqui a viagem que fizemos pela Cote D'Azur, já lá vão 3 anos! 


Fomos de carro, fizemos a viajem por etapas, na ida ficamos uma noite em Bilbau - Espanha e outra em Andorra. No regresso, pernoitamos em Lurdes e em Gijon (Espanha de novo).  Porém o destino era o sul de Fança, estivemos em Carcassone e aportamos em Nice. Dai fizemos diversos trajetos visitando: Saint Tropez, Grasse, Ez Sur Mer, Vence, Hautes de Cagnes, Biot, Cannes e Menton. Demos ainda um saltinho ao Mónaco e a San Remo (Itália). Foram dias incríveis, sempre com muito sol e um calor tórrido!


Nice tem tanto para ver, as ruas são lindíssimas, a zona  da Vieux Nice (cidade velha) é um encanto! Pudemos caminhar pelo seu extenso paradão, "Promenade des Anglais", de vários kilomeros, frente ao mar,  com uma vasta aréa de praias, todas com seixos e  mar... um mar azul de água cristalina e morna!
Vale a pena visitar os museus, nas horas de maior calor. Estivemos em muitos, mas recomendo o de Arte Moderna e Contemporânea, o Museu Matisse, o Museu de Belas Artes, o Palais Lascaris, e por fim aquele de que mais gostei, Museu Nacional Marc Chagall, fiquei rendida! 

O Mercado das Flores é um encantamento para uma blogger de culinária, arrastei para lá o meu marido várias vezes com a desculpa de tomar o pequeno almoço, aproveitando sempre para deambular entre as barraquinhas... 




A gastrononia é rica, variada e de uma enorme simplicidade! Não pudemos ir a restaurantes gourmet ou com chefes de renome, o orçamento não permitiu, mas provamos muitas das especialidades locais:  os mexilhões com batatas fritas e molhos de lamber os dedos, foram comidos na zona do Mercado das Flores, no restaurante "Le Festival de la Moule", onde por 14.90€ se podia repetir as famosas"Moules e Frites" as vezes que se quisesse, com molhos à escolha! 


Socca não podia faltar, uma espécie de crepe feito com farinha de grão de bico, que eu adorei; a Tapenade, uma mistura cremosa de azeitonas pretas de Nice, azeite, alho, anchova e alcaparra, que se barra sobre fatias de pão, tão bom;  a  Pissaladière que é uma pizza  coberta por cebolas caramelizadas, azeitonas e filetes de anchovas (sem tomate); nos doces a famosa Tourte de Blettes, uma torta recheada com acelga, pinhão e uvas-passa, achei algo estranha, foi da única coisa de que não gostei!  
Existem restaurantes que servem várias das especialidades para os turistas provarem, tipo tapas, na zona da cidade velha, em pequenas esplanadas espalhadas pelas ruelas estreitas e apinhadas de gente de todos os cantos do mundo! 


Falta falar dos gelados...os gelados artesanais da Fenocchio, que são italianos e deliciosos, os melhores que já comi, e que chegaram a servir de jantar, eheheh!


Não posso esquecer o vinho, ou não fosse o sul de frança terra de vinhos de excelência, há garrafeiras com uma grande variedade de escolha e com preços para todas as bolsas! 


Nos arredores de Nice , Grasse conquistou-me, onde até as ruas cheiram bem! Vim carregada de perfumes, que têm uma excelente relação qualidade/preço, ainda tenho imenso! O meu favorito foi o de jasmim da Fragonard e infelizmente era o frasco mais pequenino que comprei! Visitamos os museus locais, sobre perfume, claro!


Além dos perfumes fiz poucas compras, mas um moinho com ervas de Provence tinha que ser! Claro que umas loicinhas também, e pouco mais que é tudo muito caroooo!


Bem, já vai longo este relato e ainda nem falei da receita! A verdadeira salada Niçoise tem que ter ingredientes provenientes da Provença, por isso esta minha já não encaixa nos parâmetros originais. Os ingredientes podem não ter sido colhidos por Nice, mas parte deles vieram da minha horta biológica! Sim isso mesmo, agora também me dedico à agricultura e que feliz estou!
Há precisamente um ano atrás o meu marido construiu uns pequenos balcões no nosso quintal, que se situa numa zona de montanha e é na maioria constituído por lages de granito. Foi um trabalho arduo, com a terra toda carregada a balde, mas compensou, tudo o que por lá tenho plantado cresce e produz que é uma maravilha! Desde então a horta tem crescido, já tenho 4 pequenos balcões, claro que dá algum trabalho, mas estou mais tempo ao ar livre (bem menos no sofá) e a satisfação de colocar na mesa ingredientes saborosos, acabados de colher e que sabemos serem realmente saudáveis, vale cada minuto que por lá passo!  A horta não foi o único projeto novo... há outro, mais recente e que me está a fascinar, mas não vos conto tudo hoje, assim vão ter que voltar para saber mais!
A foto que se segue já tem um ano, não é todos os dias que se vai para a horta em condições para ser fotografada, ahahah!


Vamos lá à saladinha, que neste dias quentes sabe tão bem! Tentei reproduzir uma que comi em Nice, na verdade há muitas versões desta salada. Não apresento quantidades, é desnecessário, cada um faz na porção que necessita.


Salada Niçoise

Ingredientes:

Folhas de "olho de alface";
Folhas de rúcula;
Tomate cacho;
Cebola roxa;
Folhinhas de manjericão;
Folhas de agrião;
Rabanetes;
Azeitonas pretas;
Ovo cozido;
Atum em azeite;
Filetes de anchova;
Sal q.b.
Azeite q.b.


Execução:

Cozer o ovo durante 12 minutos, descascar e deixar arrefecer.
Lavar bem todos os legumes e escorrer sobre um pano seco.
Fatiar a cebola e os rabanetes fininhos.
Cortar em gomos o ovo e o tomate.
Escorrer o azeite do atum e dos filetes de anchova.
Misturar o sal com o azeite e envolver nas folhas verdes (alface, rúcula e agrião).
Num prato de servir, dispor todos os ingredientes.
Decorar com as azeitonas e as folhas de manjericão.
Servir de imediato.


Lembro-me de pensar inúmeras vezes que eu seria muito feliz se vivesse por terras da Côte D'Azur!

Sem comentários:

Enviar um comentário