domingo, 1 de março de 2015

Cogumelos Recheados com Queijo e Salmão Fumado

A roda do tempo está sempre a girar, nada nem ninguém a pode parar.
Nesta dança que o tempo dança, gira que gira, roda que roda, fico com a cabeça à roda, ando num rodopio, tento correr para não o perder... não quero perder tempo, não vá o tempo passar sem ter tido tempo para te amar.


Cá está ele, Março chegou e trouxe promessas de dias longos, tardes soalheiras e o doce perfume das flores! Não posso dizer que tardou em chegar, pelo contrário, parece-me que ainda há dias festejei a passagem de ano, ainda ontem foi Carnaval e hoje já é Março! As semanas sucedem-se a um ritmo louco, já não demora a chegar a sexta-feira. Vejo os dias de forma diferente e o tempo parece-me tão pouco, para tanto que ainda não tive oportunidade de fazer!


Há dias em que o tempo é preciso para tanta coisa que cozinhar parece um desperdício de tempo!
Esses dias pedem comidas rápidas, mas nem por isso têm que ser menos saborosas e atrativas.
É o caso destes cogumelos recheados que se preparam num estalar de dedos. Podem ser uma entrada ou uma refeição basta juntar-lhes uma boa salada.


Ingredientes :

6 cogumelos grandes;

3 dentes de alho;
2 piripiris secos;
sal marinho q.b.
azeite q.b
raminhos de alecrim fresco;
350 g de queijo tipo flamengo, Cávado (Lacticínios das Marinhas);
100 g de salmão fumado.



Execução:

Limpe os cogumelos com um pano ou papel humedecido.
Leve-os ao lume numa frigideira com o azeite, o alho, sal, raminhos de alecrim e o piripiri.
Salteie-os de ambos os lados até que murchem e libertem alguma da água que têm.
Coloque-os num recipiente que possa ir ao forno.
Rale o queijo e corte o salmão em pedacinhos pequenos.
Distribua o recheio pelos cogumelos, salpique com algumas folhinhas de alecrim.
Leve ao forno até que o queijo derreta.
Sirva quente.


Apresento com esta receita mais uma parceria do "Tentações sobre a Mesa". A empresa Lacticinios das Marinhas, sediada em Esposende, teve a gentileza de me oferecer alguns dos seus fantásticos produtos,  elaborados sem corantes nem conservantes. São produtos de excelência com os quais é um prazer trabalhar. Entre eles consta o queijo Cávado, que usei na confeção desta receita.


Espero que a  Primavera não demore muito tempo a chegar, as flores do alecrim já a estão a anunciar.

sábado, 14 de fevereiro de 2015

Bolo Mousse de Chocolate e Amendoas com Framboesas

Logo que te vi senti que cai! Cai de amores, cai em desgraça, senti-me em graça. Foi tão grande o trambolhão que perdi toda a razão!
Mergulhei a fundo, lambuzei-me de ti e de tanto que comi sinto que adoeci.
Agora não me quero curar, quero ficar assim doente, tu minha droga, eu dependente. 
Este desejo que tenho de ti consome-me, devora-me e  apavora-me! Estou à tua mercê, no teu laço enredado, preso e enfeitiçado. Aqui eu vou ficar, não me quero libertar...
Estou preso em ti, preso a ti, louco por ti!


Ás vezes uma boa dose de loucura faz falta... 
Já fiz muitos bolos de chocolate, uns melhores outros piores, uns que deixaram vontade de repetir e outros que nem por isso. Atrevo-me a dizer que de todos os que já experimentei este é o melhor.
Umas vezes sai mais húmido e outras menos, depende da temperatura do forno e do tempo que lá fica. Gosto dele mal cozido, mas desta vez distrai-me na conversa e ficou 5 minutos a mais no forno, por isso ficou mais cozido. Decidi fotografar (mesmo sendo de noite) e trazê-lo para cá e partilha-lo com vocês, para que possam experimentar esta maravilha.


Quem gosta de chocolate vai apaixonar-se por ele na primeira dentada.
É tão fácil de fazer e de uma só vez tenho o bolo e a cobertura prontos. 
Escolhi-o para a sobremesa do "Dia dos Namorados", por ser um dos meus bolos preferidos. Juntei-lhe as framboesas que contrastam tão bem com o sabor forte a chocolate. Ousei um pouco e misturei a pimenta rosa e o licor de chocolate com piripiri, para apimentar a noite.


Bolo Mousse de Chocolate e Amêndoas com Framboesas

Ingredientes:


60 g de amêndoas com pele;

150 g de açúcar;
125 g de manteiga;
300 g de chocolate negro a 70% (em tablete);
9 ovos (tamanho M);
2+2 colheres de sopa de cacau em pó Royal;
1 colher de sopa de pimenta rosa;
30 ml de Licor de Chocolate com Piripiri da Chocolicor;
250 g de framboesas frescas;
1 colher de sobremesa de açucar em pó da Royal.


Execução:

Unte uma forma e coloque no fundo um disco de papel vegetal. Unte um pouco o papel e polvilhe as laterais da forma com cacau em pó.
Triture as amêndoas com metade do açúcar até ficarem reduzidas a uma espécie de farinha.
Parta o chocolate em pedaços pequenos e derreta-o com a manteiga em banho maria ou no micro-ondas. Deixe arrefecer um pouco.
Bata o restante açúcar com as gemas.
Junte o chocolate derretido à gemada, lentamente e mexendo sem parar.
Bata as claras até formarem picos (sem ficarem em castelo firme).
Junte as amêndoas trituradas ao creme com o chocolate e adicione 2 colheres de cacau em pó, a pimenta rosa e o licor.
Mexa até que fique tudo bem misturado.
Aos poucos junte as claras e envolva lentamente, sem bater.
Verta a massa na forma, reservando cerca de 1/3 para usar como cobertura do bolo.
Leva ao forno, pré aquecido a 150º C, durante cerca de 25 a 30 minutos se o quiser mal cozido, ou então um pouco mais se pretender que fique cozido na totalidade.
Depois de frio desenforme e cubra com a mousse reservada. 
Polvilhe com restante  cacau em pó. 
Disponha as framboesas e se quiser polvilhe com um pouco de açúcar em pó.


Salpiquei com alguns grãos de pimenta rosa pelo meio das framboesas, só para desafiar os olhos e atiçar o paladar!
Uma dose bem servida desta loucura de chocolate dá-nos uma imensa alegria, não concordam?
Ah! Fiz batota... fiz sim, a publicação tem a data certa em que gostaria de a ter publicado, em não hoje dia 21/02... assim a "casa" fica mais arrumadinha.

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Sformato de Requeijão com Bróculos e Espargos

- É o que te digo, foi de tal ordem a zanga que partiram a loiça toda, eu vi! Vi com estes olhos que a terra há-de comer!
- Oh! Credo e porque seria?
- Ah! Algo de grave ele fez, ela estava furiosa, não ficou pedra sobre pedra!
- Tu viste? Estavas lá?
- Bem.. lá, mesmo lá não estava, mas passei perto ouvi tudo! Depois vi a cacaria toda à porta!
- Deixaram os cacos à porta?
- Sim, sim... no contentor.
- O contentor está à porta da casa deles?
- Hum... não está mesmo à porta, fica um pouco mais afastado. Fui despejar o lixo e vi os cacos, tudo partido e até havia sangue!
- Sangue?
- Sim e muito, era sangue por todo o lado!
- Ai! Jesus! Tu chamaste a policia?
- Nem pensar, não gosto de me meter na vida dos outros.


Aconteceu-me a mim, é verdade... parti mesmo a loiça toda, toda a que veem nesta foto, não sobrou nada! Ai o meu pratinho da Bordalo Pinheiro, que desgosto! Foi assim, num piscar de olhos, quando me virei não estava nada no mesmo sitio, nada, nem a tábua! 
Pode lá ser?
Pode sim! Duas patinhas curiosas empoleiraram-se para cheirar, a tábua abanou, as patinhas fugiram e com o balanço... virou tudo, esparramou-se tudo no chão e só escaparam os talheres, o resto ficou tudo em cacos!
Deu para salvar parte do Stormato graças ao papel vegetal que o protegeu e desta forma pudemos provar! 
- Pelo menos já tinha fotografado!
- Ah, pois! As fotos são mais importantes!
- Pois são! Tenho muita pena mas são mesmo! 


Mudemos de assunto... 
A culinária tem destas coisas, estou constantemente a descobrir novidades!
Já alguma vez comeram um pudim salgado?
Eu não. Bem... um soufflé foi o mais perto que cheguei.
Não resisti a experimentar o Sformato quando me deparei com ele o livro "Essentials of Backing" de Williams-Sonoma.
Fiz uma adaptação aos ingredientes que tinha em casa. A receita original leva só espargos, 500 g deles, mas o meu molho (depois de limpo) ficou reduzido a cerca de 300 g e tive que improvisar, por isso juntei também brócolos. O queijo usei o "Requeijão do Campo com Azeitonas" da marca Saloio, em substituição do Fontina. Acrescentei mais 1 ovo, porque não tinha ovos grandes, os meus eram tipo M. A receita que apresento está tal e qual como fiz.


Agora uma novidade boa, para compensar o "estrago" da minha loicinha...
A empresa Queijo Saloio é a mais recente parceria do "Tentações sobre a Mesa"! Teve a amabilidade de me oferecer um cabaz dos seus maravilhosos queijos, que inspirarão algumas receitas.  É importante salientar que  a Saloio detém, já por 6 anos consecutivos, o prémio do "Melhor queijo 2014" atribuído pela Associação de Lacticínios. Gosto imenso dos seus produtos e vai ser um prazer desenvolver receitas com eles.



Ingredientes:

1 chávena de leite (240 ml);
2 + 1 colheres de sopa de manteiga;
2 colheres de sopa de farinha;
1 requeijão do campo com azeitonas Saloio;
sal marinho q.b.
pimenta preta (moída na hora) q.b.
300 g de espargos limpos;
200 g de ramos de bróculos;
4 ovos M.




Execução:

Prepare vários ramequins, ou uma forma, untando com manteiga e forrando o fundo com papel vegetal (para facilitar quando se desenformar).
Arranje os legumes corte os espargos aos pedaços e leve a cozer ao vapor. Reserve as pontas dos espargos e alguns raminhos de bróculos e reduza os restantes a puré.
Aqueça o leite, sem ferver.
Leve ao lume 2 colheres de sopa de manteiga e quando ferver junte a farinha, mexendo sempre até espessar. Aos pouco adicione o leite de forma a obter um creme bechamel. Tempere com sal e pimenta preta moída na hora.
Bata ligeiramente os ovos.
Desfaça o requeijão e junte ao creme, mexendo até desfazer totalmente.  
Acrescente os ovos e o puré de legumes, incorpore bem no preparado anterior.
Verta na forma e leve a cozer no forno, pré-aquecido a 180º C, em banho maria, até que fique bem firme, mais ou menos durante 30 minutos.
Retire do forno e deixe arrefecer uns 5 minutos.
Descole as laterais com a ajuda de uma faca e desenforme sobre o prato de servir. Lentamente retire o papel vegetal.
Derreta a restante manteiga e envolva nela as pontas dos espargos e os raminhos de bróculos. Decore com eles o pudim.



Depois de lerem a receita e de verem as fotos certamente já perceberam que optei por não retirar o papel vegetal, achei mais fácil e pareceu-me que lhe dava alguma graça, ficou com um ar caseiro e rústico de que tanto gosto.


O Sformato foi aprovado, embora tenha ficado com vontade de o voltar a fazer só com espargos e depois variar com outros legumes, queijos... diferentes combinações. Faz uma entrada bonita e até requintada, mas também pode servir de acompanhamento ou até mesmo com prato principal. É bem versátil!

terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

Aletria Cremosa


A primeira vez que a viu nem lhe ligou, a verdade é que dessa vez nem se recorda de a ter visto!
As vezes seguintes sabe que ela estava por lá mas nunca lhe prendeu o olhar, não lhe despertou nenhum tipo de curiosidade! Certo dia porém, sem que houvesse uma explicação lógica, simplesmente não conseguiu tirar os olhos dela!
Porque seria?
O que havia mudado?
Seria ela que estava diferente?
Ou seria ele que a via agora como sempre fora?
Linda e tão apetitosa!


Nunca vos aconteceu não gostar de comer algo e tempos depois mudar de opinião?
Acho que acontece a todos. Eu não gostava de queijo, excepto queijo fresco... desse gostava e muito. Aos poucos fui descobrindo que afinal alguns queijos até eram bons, mas levou muito tempo para conseguir comer um camembert, detestava o cheiro.
Atualmente tudo mudou, adoro queijos mesmo os malcheirosos!
O assunto de hoje porém não versa sobre queijo, é algo bem diferente... 




A aletria não fez parte da minha infância,  não me lembro de alguma vez a ver na mesa, nem sei quando foi a primeira vez que comi, mas lembro-me de não ter gostado! Era empastada, dava para cortar à faca. Durante muitos anos ignorei completamente esta sobremesa, convicta de que não gostava. Até que descobri a aletria cremosa e tudo mudou!



Ingredientes:

150 g de aletria;
1 l de leite;
200 g de açúcar;
50 g de manteiga;
8 gemas;
1 pau de canela;
raspa de 1/2 limão;
1 casca de laranja;
1 colher de sobremesa de água de flor de laranjeira (opcional);
canela em pó q.b.




Execução:

Começe por cozer a aletria em água temperada com uma pitada de sal, durante cerca de 5 minutos, mexa com um garfo para separar os fios.

Enquanto a massa coze, aqueça o leite e junte-lhe a raspa de limão, o pau de canela e a casca de laranja.
Escorra a aletria e aos poucos junte-lhe o leite, sobre lume brando, mexendo para evitar que fique colada.
Acrescente o açucar e a água de flor de laranjeira.
Misture as gemas batidas com um pouco de leite.
Retire a aletria do lume  e deixe arrefecer ligeiramente. Retire o de canela e a casca da laranja.
Junte as gemas em fio mexendo, com um garfo, sem parar e a manteiga.
Leve novamente ao lume mas sem deixar ferver, apenas o tempo suficiente para engrossar e permitir que as gemas cozam.
Verta de imediato em travessas.
Depois de fria, decore a gosto com canela em pó.



Este é um doce tradicional português, a sua receita está descrita em vários livros, incluindo no "Cozinha Tradicional Portuguesa" de Maria de Lourdes Modesto. A receita que nele consta é uma aletria mais consisitente, pois para 100 g de massa apenas leva 400 ml de leite, ao que se juntam 150 g de açúcar, 50 g de manteiga, 3 gemas, casca de limão e canela, sendo o modo de execução bastante similar ao que descrevo.
Se tem curiosidade de saber mais sobre este doce então recomendo que visite o blogue de Virgilio Ferreira Gomes, e leia um artigo muito interessante sobre a história e diferentes versões da aletria em Portugal e pelo mundo.

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Bolo de Amendoim

Eu conheço-te, conheço-te tão bem!
O arquear das tuas sobrancelhas quando algo não está como desejas,  o breve aceno de cabeça indicando aprovação, o lampejo no olhar quando procuras os meus olhos, o sorriso trocista que afirma não querer o que de facto deseja.
Conheço tanto de ti, mesmo conhecendo-te tão pouco!
A final de onde te conheço eu?
Conheço-te do local onde mais vezes te encontro, onde caminho de mão dada contigo, onde não existem barreiras, onde não há tempo nem espaço. É dai que eu te conheço... da terra sonhada, onde voo contigo e acaricio as tuas asas.


Nunca se deve deixar de sonhar. Eu sou mesmo uma sonhadora., talvez por isso gosto tanto, tanto dos contos de fadas. Não se riam de mim, eu emociono-me cada vez que revejo a "Branca de Neve", ainda choro com o "Rei Leão", fascina-me o "Capuchinho Vermelho" (só sobre este conto podia falar-vos durante horas). Recentemente cai em tentação, perdi-me completamente, deixei-me encantar por uma fada malévola, muito, muito má! Já descobriram de quem estou a falar?


Tinha que ser dela... da Malificent, a terrivel Maléfica, a fada que mais me fascinava e simultâneamente me aterrorizava em miúda! 
Nunca se perguntaram porque seria ela tão má?
Eu sempre quis saber! Ela era uma fada, não era uma bruxa... essas podem ser más, mas as fadas não!
Ver o novo filme da Disney veio provar que eu tinha razão, eheheh!
A Maléfica possuia um bom coração, um coração que foi barbaramente atraiçoado e que termina resgatado por um amor puro e verdadeiro. 
Ok! Não conto mais nada, se calhar ainda não viram o fime. Não resisto só a finalizar dizendo-vos que aquele lindo corvo... ainda lhe vai trazer muitas alegrias, ahahah!

Se eu pudesse oferecer um bolo à Maléfica este seria uma boa escolha, de certeza que faria o seu paladar voar bem alto de felicidade.



Eu também fiquei bem feliz com a oferta de um magnifico balde de 1kg manteiga de amendoim, cortesia da Myprotein. Um produto feito 100% com amendoim, sem adição de açucar, sal ou oleo de palma. Uma verdadeira delicia.
Visitem o site e descubram este e muitos outros produtos interessante e de excelente qualidade.


Bolo de Amendoim

Ingredientes:

160 g de açúcar amarelo;
80 g de manteiga;
160 g de manteiga de amendoim;
4 ovos M;
3 colheres de sopa de leite;
1 colher de chá de sumo de limão;
200 g de farinha;
2 colheres de chá de fermento em pó;
100 g de amendions.

Cobertura:

3 colheres de sopa de manteiga de amendiom;
1 colher de sopa de manteiga;
2 colheres de sopa de açúcar amarelo;
8 colheres de sopa de leite.



Execução:

Bolo

Bater a manteiga amolecida com o açúcar, juntar a manteiga de amendoim.
Adicionar um ovos de cada vez, batendo entre cada adição.
Misturar o sumo de limão com o leite para obter um leite azedo.
Juntar o fermento à farinha e envolever na massa, batendo em velocidade lenta apenas o suficiente para que todos os ingredientes fiquem bem agragados.
Picar grosseiramente metade dos amendions e 
Verter o preparado numa forma untada e dispor por cima os restantes amendions.
Levar ao forno, rpé-aquecido a 180ª C durante 40 minutos. fazer o teste do palito.
Deixar arrefecer um pouco e desenformar.

Cobertura

Levar ao lume todos so ingredeintes e mexer para que se misturam bem.
Verter sobre o bolo.



É um bolo para quem gosta muito de amendoim...  que é o meu caso!


Este vai direitinho para a lista dos meus bolos preferidos e até já imagino as diferentes versões que  posso fazer com ele!



Se virem por ai a Maléfica digam-lhe que este bolinho já acabou, mas para ela eu faço outro!
Então e para a Aurora?
Ela não precisa, já tem o principe!

domingo, 4 de janeiro de 2015

Bolo Rainha

Há quem goste do rei!
Há quem prefira a rainha!
Eu cá gosto dos dois, assim ninguém se zanga!



Há vários anos que faço o "Bolo Rei ou Rainha", mas ainda não tinha aqui nenhuma receita!
Venho fazendo várias experiências  ao longo do tempo, umas melhores outras nem por isso. Este ano acho que finalmente acertei! 
Tornou-se extremamente fácil fazer este bolo com a máquina de fazer pão. Apenas é necessário começar com alguma antecedência, pois o ciclo de "amassar e levedar" (no programa - Massa) tem que ser repetido, ou seja na minha máquina levou cerca de 3.40 h. Depois ainda é preciso dar-lhe forma e deixar levedar mais 1 hora... é de facto um processo demorado, mas vale mesmo a pena pelo resultado!



Bolo Rainha

Ingredientes:


550 g de farinha de trigo T65;
100 ml de leite tépido;
100 ml de cerveja;
2 colheres de sopa de sumo de laranja;
2 colheres de sopa de vinho do Porto;
150 g de açucar amarelo;
3 gemas + 1 para pincelar;
100 g de manteiga derretida;
1 saqueta de fermento seco de padeiro (ou 30 g de fermento fresco);
raspa de 1 laranja;
raspa de 1 limão;
1 pitada de sal;
350 g de frutos secos variados (nozes, amendoas, pinhões, avelãs, passas);
açucar em pó para polvilhar.


Execução:

Coloque na cuba da MFP todos os ingredientes líquidos. 
Desfaça, com os dedos, as raspas da laranja e do limão no açúcar e junte aos ingredientes colocados na cuba. 
Depois de peneirada junte a farinha.
Adicione, por último, o fermento de padeiro seco.
Selecione o programa "massa".
No final do ciclo volte a selecionar o mesmo programa. Ao aviso sonoro junte os frutos secos, reservando uma parte para a decoração.
Findo o 2.º ciclo do programa, retire a massa da máquina.
Polvilhe com farinha um tabuleiro.
Dê a forma de coroa à massa e coloque uma tigela no centro para manter a forma.
Pincele com gema de ovo e decore com os frutos secos reservados.
Deixe levedar durante 1 horas, num local aquecido.
Leve ao forno, pré-aquecido a 180º C, durante 40 minutos, ou até estar dourado. Verifique a cozedura antes de retirar do forno.
Deixe arrefecer sobre uma grade.
Pode pincelar com geleia para lhe dar brilho e polvilhar com açúcar em pó.


*Decorei com tiras do meu doce de chuchu.


Método tradicional

Desfaça o fermento com um pouco de leite tépido.
Leve o restante leite ao lume com a manteiga, até que esta comece a derreter. Misture o açúcar com as rapas dos citrinos, usando as pontas dos dedos, até obter um açúcar bem aromático. Junte à mistura de leite e manteiga e deixe em infusão alguns minutos. 
Adicione a cerveja, o sumo de laranja, o vinho do Porto e as gemas, batendo um pouco.
Peneire a farinha para uma bacia e abre ao centro uma cova, junta uma pitada de sal. 
Adicone a mistura líquida e o fermento. Começa a amassar até obter uma bola lisa e homogénea, com uma consistência semelhante à massa de pão, um pouco mais mole e elástica, que descola do fundo da bacia (ou bancada). Procure não juntar mais farinha, à medida que se vai amassando a consistência da massa vai mudando (pode ser amassada com um robot de cozinha).
Deixe levedar até duplicar de volume.
Volte a amassar. 
Junte os frutos secos, reservando uma parte para a decoração. Dê-lhe a forma de coroa. 
Disponha sobre um tabuleiro enfarinhado e coloque no centro uma tigela para manter a forma.
Pincele com a gema de ovo e decore com os frutos secos reservados.
Deixe levedar durante 1 hora.
Leve ao forno, pré-aquecido a 180º C, durante 40 minutos, ou até estar dourado. Verifique a cozedura antes de retirar do forno.
Deixe arrefecer sobre uma grade.

Pode pincelar com geleia para lhe dar brilho e polvilhar com açúcar em pó.


Desejo a todos um 2015 muito feliz e um doce "Dia de Reis"!
Se por acaso preferirem os salgadinhos podem optar pelo "Bolo Rei de Enchidos"

terça-feira, 30 de dezembro de 2014

Pavlova de Mirtilos

Ela estava ali, ao lado dele. Ele estava com ela, mas não a via!
Hoje, para ele, ela seria quase invisível. Podia segurar-lhe na mão, podia sorrir-lhe, podia até aperta-la junto ao peito e mesmo assim sabia que os seus olhos estavam presos noutro lugar. Porem não lhe importava, seria algo passageiro, hoje podia ficar preso na outra à vontade, podia deseja-la, encher os olhos dela, ficar pertinho e sentir-lhe o doce aroma. Hoje podia imaginar o seu beijo quente, prende-la pela cintura e  inundar os sentidos imaginando-a sua. A final não era todos os dias que se podia disfrutar de alguém com tanta beleza...
Tinha que reconhecer que ela era deslumbrante, mas sabia que ficaria por pouco tempo, era assim a Pavlova completamente inebriante!


Ela é a favorita cá em casa, a mesa pode estar cheia de doces iguarias mas se ela estiver presente ofusca todos as restantes! É sempre a mais desejada e por isso a primeira a acabar! Esteve, por muito pouco tempo, na mesa de Natal.


Os mirtilos  foram (mais uma vez) uma gentil oferta da Bioprodutores. Mesmo estando congelados mantiveram o seu delicioso sabor.
Segui a receita do Célio do "Sweetgula" na execução do merengue.


Pavlova de Mirtilos

Ingredientes:


Merengue


6 claras de ovo;

220 g de açucar;
1 colher de café de essencia de baunilha;
2 colheres de chá de vinagre de cidra;
1 colher de sobremesa de amido de milho.

Doce de Mirtilo

300 g de mirtilos (usei congelados);
150 g de açucar;
1 colher de sobremesa de sumo de limão.

Creme

200 ml de natas;

200 ml de iogurte grego;
açúcar;
sumo de limão.

250 g de mirtilos para finalizar.




Execução:

Merengue

Começar por desenhar um circulo sobre uma folha de papel vegetal com cerca de 20 cm de diâmetro.
Colocar a folha num tabuleiro com a parte desenhada virada para baixo.
Bater as claras até formarem picos suaves. Sem parar de bater, aos poucos, adicionar o açucar, até que fiquem bem firmes.
Seguidamente juntar a baunilha e o vinagre, bater novamente para misturar bem.
Envolver delicadamente o amido de milho.
Verter o merengue sobre o tabuleiro forrado, na zona com o circulo desenhado.
Dar-lhe a forma desejada com a ajuda de uma espátula, ou mesmo com as costas de uma colher.
Pressionar o centro de modo a formar uma concavidade.
Aquecer o forno a 150º C. Colocar o merengue no forno a baixar a temperatura para 140º C. Voltar a reduzir a temperatura 15 minutos depois para 120º C, deiare cozinhar durante 1.30 h.
Arrefecer completamente dentro do forno, com a porta ligeiramente entreaberta.

Doce de Mirtilos

Levar ao lume todos os ingredientes até levantarem fervura. Manter em lume brando mexendo uma vez por outra, até que os mirtilos se desfaçam. Deixar arrefecer.

Creme de Nata e Iogurte

Bater as natas até espessarem, juntar o açúcar e o sumo de limão. Voltar a bater para se misturarem bem.
Adicionar o iogurte e bater novamente em velocidade lenta.

Montagem

Descolar o merengue do papel vegetal lentamente com a ajuda de uma espatula, ou faca. Rodar e cuidadosamente desliza-lo para um prato de servir.
Rechear com o doce, deixando escorrer algum pelas laterais.
Cobrir com o creme.
Finalizar dispondo os mirtilos.



Ao sair do forno estava perfeita!
Depois com o peso das 3 camadas de recheio foi estalando um pouco, mas nada de especial.
Levei-a ao frio e servi fresca, estava divina! bem crocante no exterior e cremosa por dentro, tal como deve ser.




Com ela encerro 2014 aqui no blogue.
Desejo que 2015 vos traga tudo de bom e muitos sonhos realizados!
Por falar nisso... hoje aqui o pequeno está de parabéns, faz 3 anos que nasceu!